Edições Anteriores (PORT)

Nueva Época

  • Esta nova edição de Marxismo Vivo – Nova Época, dando continuidade às elaborações e debates programáticos, aborda dois novos temas. Por um lado, incorpora um novo Dossiê, “Tudo é História&

  • Grande parte desta nova edição de nossa revista está dedicada a socializar os debates programáticos que aconteceram no 12° Congresso Internacional da LIT-QI, realizado em junho deste ano. Este congres

  • Apresentamos esta nova edição de nossa revista com a tristeza de ter perdido quem era, possivelmente, nossa principal colaboradora. Maria Cecília Garcia, Cecilia Toledo (nome com o qual assinava seus

  • Dando continuidade à política de fazer da revista Marxismo Vivo uma ferramenta para socializar o processo de elaboração programatica que vem ocorrendo na Liga Internacional dos Trabalhadores, nesta ed

  • Na apresentação da edição anterior de Marxismo Vivo, assinalamos que, a partir deste número, a revista teria algumas características novas. Entre elas, destacávamos: “[Marxismo Vivo) buscará soc

  • Em junho de 2000, apareceu o primeiro número de Marxismo Vivo. Já na apresentação, deixávamos claro o objetivo da revista: “A partir das revoluções no leste europeu começa um debate entre milhar

  • Esta nova edição da revista Marxismo Vivo – Nova Epoca conta com três dossies. Queremos destacar, no entanto, o primeiro, que trata dos 100 anos da Revolução Russa, porque é com ele que rendemos

Primera Época

  • Por que lançar a revista Marxismo Vivo? Depois das revoluções do Leste europeu se desatou um debate entre milhares de lutadores no mundo inteiro No início era um debate restrito à organizações e os me

  • Na apresentação do primeiro número de Marxismo tivo diziamos que a partir das revoluções do Leste iniciara-se um amplo de bate sobre inúmeras questões. Quatro meses apenas do lançamento da revista, c

  • O projeto norte-americano do ALCA, assim como as recentes manifestações contra ele em Buenos Aires ou Quebec, as brutais agressões sionistas ao povo palestino, assim como a heróica Intifada, são expre

  • Vários leitores de diversos países nos enviaram uma crítica: “Muitos operários, e outros que não são operários, têm dificuldades para entender determinados artigos de Marxismo Vivo”. Isto

  • Milhares de pessoas foram às ruas na Argentina para enfrentar o governo. Outros tantos fizeram o mesmo em Caracas contra o golpe de estado preparado nos EUA. Mais de 300 mil pessoas ocuparam as ruas d

  • Este número de Marxismo Vivo inicia uma nova época. Quando lançamos a revista, ela tinha uma proposta: num momento de crise e reflexão após a queda do muro de Berlim e a sucessão das revoluções do Les

  • O número anterior da revista Marxismo Vivo (o N° 6) esteve dedicado a analisar o Brasil e o governo Lula no marco da situação mundial. Este novo número da revista tem a mesma temática que a anterior.

  • Entregamos ao leitor uma revista Marxismo Vivo especial: quase totalmente dedicada à revolução boliviana de outubro de 2003. A este tema só agregamos uma análise do momento atual da resistència iraqui

  • A manchete do número anterior de Marxismo Vivo perguntava: Iraque: um NOVO Vietna para os Estados Unidos? Em outras palavras: a principal potência econômica e militar do planeta será novamente derrota

  • Marxismo Vivo chega ao número 10. Ainda que seja um fato simples, nos enche de orgulho, porque Marxismo Vivo conseguiu se autofinanciar e foi editada em espanhol e portugués, sendo que algumas edições

  • Várias vezes nossos leitores reclamaram porque nossa revista não cobre os acontecimentos mais recentes da luta de classes. Esses leitores terão novos motivos para nos recriminar. Nas últimas semanas o

  • O ano de 2005 vai chegando ao fim e achamos conveniente apresentar a nossos leitores uma visão global do que ocorre hoje no planeta. Por isso, incluímos nesta edição de nossa revista uma série de arti

  • Esta nova edição de Marxismo Vivo tem como um de seus temas centrais a situação na América Latina. Fechávamos esta edição quando um aconteci mento politico se transformou na principal noticia no mundo

  • Na revista Marxismo Vivo 2, de 2000, fizemos um convite às diversas correntes do marxismo revolucionário para participar de um debate sobre a questão do papel de Israel no Oriente Médio e, nessa mesma

  • Esta nova edição de Marxismo Vivo destaca a situação venezuelana, Com ela também inauguramos uma nova seção, intitulada “IV Internacional, onde também se fala da Venezuela. Não é por acaso. Ambo

  • Mais da metade desta nova edição da revista Waseme kore está dedicada a dois grandes temas: a Revolução Russa e a situação política na Venezuela. Aparentemente são dois grandes temas com pouca relação

  • No dia 3 de setembro deste ano se completam 70 anos de fundação da IV Internacional, que estabeleceu em seu programa o diagnóstico e a tarefa de toda uma etapa: Os requisitos previos objetivos para a

  • Esta nova edição da Masarme tivo trata centralmente de um tema que ocupa as principais páginas dos jornais e revistas de todo o mundo: a chamada “crise dos alimentos” Colocamos esta expres

  • O principal jornal de língua espanhola do mundo, o Clarín, da Argentina, estampou o sugestivo título de “Os cinco dias que abalaram o mundo” na primeira página de sua edição de 21 de setem

  • Nos últimos 20 anos, o capitalismo imperialista cantou vitória, aproveitando-se da restauração do capitalismo nos antigos Estados operários burocráticos e declarou que o socialismo havia morrido”

  • Essa edição da Martises Vus dedica seu Dossiê aos 30 anos da revolução nicaraguense, fato esse que abriu uma nova situação revolucionária em toda a América Central em 1979 e despertou grande entusiasm

  • Este número de Marxismo Vivo sai quando a preocupação com as guerras que o imperialismo trava no Oriente Médio vai tomando as manchetes da imprensa burguesa e os grandes telejornais. Naquela região do