Revista Marxismo Vivo – Português N° 16

Mais da metade desta nova edição da revista Waseme kore está dedicada a dois grandes temas: a Revolução Russa e a situação política na Venezuela. Aparentemente são dois grandes temas com pouca relação entre si, mas não é assim.

No Dossiê dedicado a comemorar os 90 anos da Revolução Russa o leitor poderá encontrar as principais conclusões de Leon Trotsky sobre esse acontecimento histórico e, além disso, vários autores informam, analisam e extracm conclusões sobre uma série de aspectos particulares. Um revolucionário italiano analisa a Comuna de Paris como um prenúncio da Revolução Russa. Outros

ram o que foram e como funcionavam os soviets ou o Exército Vermelho. Esta edição de Moscime fire também apresenta textos dedicados a mostrar como a revolução se manifestou no terreno da economia, da cultura e do exército.

Dessa forma nós, que fazemos esta revista, celebramos os 90 anos da Grande Revolução Russa, mas não o fazemos da forma como gostaríamos. Não fazemos esta homenagem contemplando a vitória da revolução socialista mundial. Pelo contrário, fazemos esta homenagem constatando a restauração do capitalismo em todos os países onde a burguesia havia sido expropriada, incluindo a própria Rússia. E então por que dedicar tanto espaço a tirar conclusões de uma derrota? Porque levamos muito a sério as palavras de Leon Trotsky em suas Lições de Outubro: “Sem o estudo da grande Revolução Francesa, da revolução de 1848 e da Comuna de Paris, jamais teríamos levado a cabo a Revolução de Outubro De fato, fizemos esta experiência apoiando-nos nas lições extraídas das revoluções anteriores e continuando sua linha histórica”.!

Por outro lado, os artigos dedicados a analisar a situação política da Venezuela depois do referendo da reforma constitucional, no qual Chávez foi derrotado, mostram o aprofundamento do processo revolucionário que se desenvolve nesse país. Os revolucionários venezuelanos estão diante do maior desafio de suas vidas, porque a situação fica cada vez mais tensa, os cenários se clarificam e a necessidade de haver uma direção revolucionária torna-se imperiosa. Mas como construir a direção revolucionária, tomar o poder, expropriar a burguesia, defender-se da agressão imperialista, expandir a revolução para o cenário internacional, sem estudar a experiência que a Revolução Russa nos deixou? Trotsky, na frase citada acima, dizia que sem o estudo das revoluções anteriores “jamais teríamos feito a Revolução de Outubro…”

Agora cabe a pergunta: poderemos fazer um novo Outubro na Venezuela sem tirar todas as conclusões da própria Revolução de Outubro? Jamais! Aqui está justamente a relação entre os dois grandes temas tratados nesta edição de Marxismo Vivo.

 


Tags: